quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

"Argos da minha memória" por Custódio Correia


Custódio Correia

Argos da minha memória
Tenho o teu nome gravado
Nos labirintos da história
Onde guardo o meu passado

I
Foste navio de cruzeiros
Estrela de marear
Foste berço de embalar
Refúgio de marinheiros
Em rios e mares costeiros
Foste presença notória
A tua ação foi meritória
Nas mais diversas missões
Símbolo de tradições
Argos da minha memória

II
Naveguei por muitos mares
Em muitas embarcações
E guardo recordações
Desse tempo e dos lugares
Marés de sorte e azares
Que recordo com agrado
Marcas do caminho andado
Nos tempos da mocidade
No cantinho da saudade
Tenho o teu nome gravado

III
Pertenço a uma geração
Que se envolveu num mistério
Que acabou com o império
Da sua própria Nação
Com razão ou talvez não
Com derrota ou com vitória
Beliscamos a memória
Dos nossos antepassados
E havemos de ser julgados
Nos labirintos da história

IV
Depois de quinhentos anos
Duma ocupação forçada
Batemos em retirada
Sem acordo nem planos
Sem contar perdas e danos
Desse tempo atribulado
Deixamos o barco encalhado
Sem comandante e sem rumo
Envolto em nuvens de fumo
Onde eu guardo o meu passado.

3 comentários:

  1. A veia poética do Custódio Correia, "Custódio Velhinho" para os amigos, revelou-se finalmente !
    Um óptimo contributo para o blog, que há muito estava sem actividade.
    Um grande abraço para ti Custódio.

    ResponderEliminar
  2. Cabo L Caetano
    Jun 1970 a Abr 1972

    ResponderEliminar